Hermeneutica da obra de arte

Hermeneutica da obra de arte

Por: R$ 94,90 Em 3x de: R$ 31,63 No boleto: R$ 90,16 Economize: 5,00% no pagamento com boleto

comprar
Avalie
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x sem juros
  • 2x sem juros
  • 3x sem juros
Calcule o frete e o prazo de entrega para sua região:

Descrição

Livro WMF Martins Fontes Hermenêutica da Obra de Arte. A palavra hermenêutica, hoje, é imediatamente associada ao nome do filósofo alemão Hans-Georg Gadamer em razão de suas contribuições para o desenvolvimento da tradição hermenêutica, assim como do resgate sistemático dessa tradição presente em sua obra. Gadamer não apenas se valeu explicitamente do termo hermenêutica para descrever a essência de seus esforços de pensamento como também procurou incessantemente elevar a hermenêutica clássica a um estágio compatível com os problemas e questões essenciais do filosofar contemporâneo. O projeto hermenêutico gadameriano nasce de um diálogo com a tradição e de uma tentativa de se apropriar dessa tradição para vivificá-la e elevá-la ao horizonte de nossa existência atual. Considerar esse diálogo e essa tentativa é, portanto, condição indispensável para compreendermos o cerne da hermenêutica gadameriana e sua articulação com o campo de realização da arte. Antes de levarmos a termo uma tal consideração, porém, algumas perguntas surgem como que por si mesmas. O que significa afinal a palavra hermenêutica? Qual é a diferença fundamental entre a hermenêutica clássica e a gadameriana? Quais são os elementos centrais da hermenêutica gadameriana e como o problema da arte entra nessa hermenêutica? A hermenêutica da obra de arte aponta para um campo particular da hermenêutica filosófica ou, antes, revela muito mais de maneira paradigmática o próprio caráter dessa hermenêutica?